• Nice work
  • Blogger widget
  • Aditya Subawa
ÚLTIMAS POSTAGENS

12 de dezembro de 2014

AUTOGRAFO MUSICAL - JOHN LENNON

AUTOGRAFO MUSICAL

NESTE FINAL DE SEMANA O AUTOGRAFO MUSICAL NA EXPRESSO MUSIC TEM MAIS UM SUPER ESPECIAL COM ELE, O MITO JOHN LENNON.


























BIOGRAFIA

INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

John Winston Lennon nasceu em 9 de outubro de 1940 em Liverpool, Inglaterra, único filho de Alfred "Alf" Lennon (1912-1976) e Julia Lennon (1914-1958) (cujo sobrenome de solteira era Stanley). Os seus prenomes foram uma homenagem ao avô paterno John "Jack" Lennon e ao primeiro-ministro britânico à época Winston Churchill. Seu pai, Alf Lennon, trabalhava na marinha mercante durante a Segunda Guerra Mundial e mandava frequentemente dinheiro para a mulher e o filho que viviam em Liverpool na 9 Newcastle Road. O dinheiro parou de vir quando Alf desertou.


Após ser muito criticada pela família Stanley a respeito de continuar casada e "viver em pecado" com Bobby Dykins, e a considerável pressão de sua irmã Mary "Mimi" Smith (que por duas vezes contactou o Serviço Social de Liverpool reclamando por John ter que dormir na mesma cama que o casal Julia e Bobby) Julia deixou o filho aos cuidados de Mimi. Em 1946, Alfred visitou a casa de Tia Mimi e levou John até Blackpool e secretamente planejou emigrar para a Nova Zelândia com o garoto. Após o fracasso de sua tentativa, Alfred largou o menino com Julia e não manteve contato com John até o início da Beatlemania, quando eles se reencontraram.

Julia pegou novamente John e levou-o para sua casa matriculando-o numa escola local, mas poucas semanas depois ela devolveu-o a Tia Mimi. Julia mais tarde comprou para John seu primeiro violão, um Gallotone Champion. Como John tinha dificuldades em aprender acordes, Julia ensinou-os usando um banjo e um ukelele que eram instrumentos mais simples.


John estudou na Dovedale County Primary School até passar no exame Eleven-Plus (ou 11 +). Certa vez, ele citou um acontecimento que ocorreu na escola: "Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida. Quando eu fui para a escola, me perguntaram o que eu queria ser quando crescesse. Eu escrevi “feliz”. Eles me disseram que eu não entendi a pergunta, e eu lhes disse que eles não entendiam a vida." De 1952 a 1957, ele estudou na Quarry Bank Grammar School em Liverpool, onde ficou conhecido pelos seus desenhos e pelas suas mímicas. Nessa escola, em 1956, ele fundou uma banda de skiffle chamada The Quarrymen, que daria origem aos Beatles.

Em 15 de julho de 1958, após uma visita, Julia morreu atropelada por um policial, Eric Clague, que dirigia bêbado. Devido a esse fato, Paul e John acabaram se tornando mais próximos, pois Paul também perdeu a mãe muito jovem, tendo ele 14 anos quando ela morreu, de câncer.


John era um aluno problemático na escola, e mesmo assim foi aceito na Liverpool College of Art. Foi nesta escola que ele conheceu sua futura esposa Cynthia Powell e fez amizade com Stuart Sutcliffe. Devido à grande amizade formada, em 1960, Stuart entrou para sua banda de rock como contrabaixista e tempos depois abandonou a banda para se casar com uma alemã em Hamburgo. Stuart morreu em 1962, aos 21 anos de hemorragia cerebral.


Lennon fundou os Quarrymen em 1956, inicialmente uma banda de skiffle (ritmo que fazia sucesso na Inglaterra na época) com seu melhor amigo na época, Pete Shotton. Lennon cantava e tocava guitarra enquanto Shotton tocava uma tábua de lavar roupas (o skiffle usava esse instrumento para dar um som rítmico às canções). Na verdade, quando a banda foi formada ela se chamou "The Black Jacks", nome que durou apenas uma semana e foi substituído por The Quarrymen em homenagem a escola onde os garotos estudavam. Para incorporar o grupo foram chamados Eric Griffths (violão), Bill Smith (baixo improvisado) e Rod Davis (banjo).

No dia 6 de junho de 1957, Paul McCartney foi apresentado a John Lennon, após Paul ver The Quarrymen tocar em uma festa na Igreja de St. Peter. Paul demonstrou suas habilidades como músico a John e foi convidado a entrar para a banda. Em 1957, Paul McCartney mostrou a John sua primeira composição, "I've Lost My Little Girl" (ouvindo isto, John animou-se a compor também). Vale lembrar que John teve uma certa relutância em chamar Paul para a banda, uma vez que Paul demonstrasse "talento demais", segundo até alguns próprios integrantes de época, e sendo melhor que Lennon, causava um certo medo no jovem de ser jogado de lado. Mas, o jovem Lennon logo venceu essa relutância.

Em 1958, John começou a perder o interesse pelo skiffle, começando a tocar mais rock and roll. Rod Davis que tocava banjo saiu do grupo e, em fevereiro, George Harrison entrou para o grupo. Posteriormente, Stuart Sutcliffe (chamado também de Stu) também entrou para a banda como baixista. No verão do mesmo ano, eles gravaram em um disco de acetato de 78-rpm as canções "That'll Be the Day"(composição de Buddy Holly) e "In Spite of All the Danger" (composição de McCartney e Harrison).

Em 1960, a banda trocou de nome 5 vezes. Stu sugeriu o nome The Beetles (os besouros) em homenagem a banda The Crickets (os grilos), de Buddy Holly. Após uma turnê com Johnny Gentle na Escócia, eles mudaram definitivamente o nome para The Beatles.

John era um destaque na banda. Allan Williams agenciou alguns shows em clubes noturnos de Hamburgo para os Beatles em 1960. Na época os Beatles passaram a ser formados por John Lennon (guitarra), Paul McCartney (guitarra), George Harrison (guitarra), Stuart Sutcliffe (baixo) e Pete Best (bateria). A primeira viagem a Hamburgo foi uma tragédia. Eles dormiam dentro de um cinema abandonado, em condições precárias, e deviam seguir um contrato para tocar lá. Eles tocavam na casa noturna determinada, mas resolveram quebrar o contrato, tocando em outro lugar também. Assim, o homem que os contratou ficou furioso e denunciou George, que era menor de idade, e George foi deportado, gastando todo o dinheiro que ganhara. Além disso, a banda foi acusada de ter causado intencionalmente um incêndio no cinema. A desculpa deles foi de que, como não tinha luz, eles tentaram fazer uma fogueira e perderam o controle. Eles voltaram arrasados para Liverpool e este foi quase o fim da banda.
No dia 21 de março de 1961, os Beatles fizeram a primeira de uma série de apresentações no Cavern Club de Liverpool. Eles voltaram a Hamburgo em abril do mesmo ano. Gravaram um disco acompanhando Tony Sheridan na canção "My Bonnie". Stuart acabou abandonando a banda para se casar com a alemã Astrid Kirchherr e não voltou mais a Liverpool. Isso talvez tenha sido uma coisa boa, pois Stuart tocava mal a ponto de ser pressionado por Paul McCartney, chegando a bater no guitarrista no palco, e ele só entrara na banda devido a sua amizade com John, que insistira demais, a ponto de ter feito o amigo gastar o dinheiro que ganhara como artista plástico, seu sonho de profissão, para comprar o contrabaixo. Assim, Paul McCartney se tornou o baixista da banda.

No dia 9 de novembro de 1961, Brian Epstein viu os Beatles pela primeira vez tocando no Cavern Club e mais tarde assinou um contrato para empresariá-los. No dia 31 de dezembro, eles foram a Londres tentar arrumar um contrato de gravação com a Decca Records, mas foram dispensados. Em abril de 1962, os Beatles voltaram a Hamburgo para tocar no Star Club e receberam a notícia da morte de Stu. Isso foi um choque para John que já havia perdido seu tio George e sua mãe Julia.

Finalmente, assinaram um contrato de gravação em 9 de maio de 1962 com a Parlophone Records. George Martin, o produtor musical dos Beatles, sugeriu que eles trocassem de baterista, o que foi feito com a entrada de Ringo Starr também de Liverpool. Finalizava-se então a formação dos Beatles com John Lennon (guitarra rítmica), Paul McCartney (baixo), George Harrison (guitarra solo) e Ringo Starr (bateria). Tal formação manteve-se nos shows e nos discos até a fase "psicodélica" da banda, quando os integrantes passaram a demonstrar talento e interesse em outros instrumentos, inclusive Lennon passa a se destacar não só em guitarra base, mas também solo (Get Back, Honey Pie, Birthday, Revolution), contrabaixo (Helter Skelter, Back in the USSR, Let it Be, Long and winding road, esta última tendo a linha de baixo odiado por McCartney e ajudou a contribuir com a intriga em torno da música que também fora arranjada por Phil Spector, a contragosto do compositor) e teclado e piano (I'm down, Oh, Darling!, Something). John Lennon foi também quem gravou a gaita nas músicas dos Beatles.



Em 5 de outubro de 1962, os Beatles lançaram seu primeiro compacto com a canção "Love me Do". E no dia 11 de fevereiro de 1963, em apenas um dia, gravaram seu primeiro álbum Please Please Me. Não demorou muito para os Beatles se tornarem um grande sucesso na Inglaterra. E, com o posterior sucesso nos Estados Unidos, iniciava-se a beatlemania.

Na primeira fase do grupo, John era responsável pela maioria das composições dos Beatles, mesmo elas sendo assinadas como dupla Lennon/McCartney. Era evidente sua liderança e maior produtividade musical na banda. John Lennon também começou a desenvolver-se como letrista e compôs algumas canções mais intimistas influenciado por Bob Dylan como "I'm a loser" e "You've got to hide your love away". Durante a segunda fase dos Beatles, John revelou-se cada vez mais um grande letrista. Entre suas composições estão "All you need is love", "Strawberry Fields Forever", "A day in the life" e "Across the Universe" entre outras.

Em 1966, John declarou em uma entrevista: "O cristianismo vai desaparecer e encolher. Eu não preciso discutir isso, eu estou certo e eu vou provar. Nós somos mais populares que Jesus agora. Eu não sei qual será o primeiro - o rock 'n' roll ou o cristianismo. Jesus estava certo, mas seus discípulos eram grossos e ordinários." A frase "somos mais populares que Jesus Cristo" repercutiu no mundo todo, recebendo ataques religiosos, gerando eventos em locais públicos de jovens religiosos queimando discos dos Beatles, e até mesmo grupos fanáticos esperaram a banda do lado de fora do show para tentar matá-los. John pediu desculpas publicamente, alegando ter sido mal interpretado, se explicando logo depois. "Não sou antideus, nem anticristo, nem antireligião", disse. Ele também disse que esta frase poderia ter sido substituída por "a televisão é mais popular do que Jesus" que seria a mesma coisa e não faria tanto barulho. Com isso e mais as suas letras polêmicas na carreira solo lhe deram a fama de ateu, mas ele declarou em uma entrevista que tem uma visão diferente de Deus. "Sim, eu acredito que Deus é como uma usina de força, que ele é um poder supremo, que não é nem bom nem ruim, nem de direita nem de esquerda, nem branco nem preto, Ele simplesmente é".

Devido à morte do empresário dos Beatles, Brian Epstein, em 1967 a banda começou a ter problemas sérios. O fracasso financeiro da Apple Corps, empresa criada pela banda, foi o começo. O clima começou a ficar tenso no estúdio, pois havia briga entre os membros. Em 1970, Paul McCartney anunciou o fim dos Beatles.


Logo após a separação, John deu uma entrevista à revista Rolling Stone, onde ele mostrou ressentimentos relacionados a Paul McCartney e aos Beatles. Segundo ele, os Beatles tratavam Yoko Ono hostilmente. Também alegava não ter o espaço que queria na banda, que a mesma perdera o sentido, e até revelou sua forte insegurança em trabalhar ao lado de Paul McCartney, algo que desde quando eles se conheceram, o atingiu. Quando viu Paul tocando pela primeira vez, se encantou, e Paul foi amigável, ensinou Lennon a tocar duas músicas que ele estava tocando errado, e John quisera ele em sua banda de primeira, mas também revelava ciúme quanto a ele. John tivera dificuldades quando começou a tocar guitarra, enquanto Paul era um prodígio com instrumentos musicais ainda mais novo. Durante o período logo após a separação da banda, Lennon demonstrava agressividade nas entrevistas quanto a Paul McCartney, alegando até que, com ele, conforme os anos, os Beatles se tornariam a "banda de apoio" que o Paul desejava deles. Ele falou tanta coisa da banda que em outra entrevista anos depois, quando as coisas se acalmaram, ele retirou algumas de suas declarações e voltou a ocasionalmente ter contato com os antigos amigos, mas isto foi perto da data da sua morte.

Em 1966, junto com seus colegas de banda, Lennon foi agraciado com a medalha da Ordem do Império Britânico (MBE). Em 1969, devolveu sua medalha à Rainha, em protesto contra a Guerra do Vietnã e contra o envolvimento do Império Britânico no conflito de Biafra.


Mesmo se tratando de uma alta honraria, o título de Sir é mais distinto do que o de Membro do Império, por se tratar de um título nobiliárquico de mais alto valor, equivalente a "Cavaleiro do Comandante do Império" (Knight of the Britsh Empire). Apenas Paul McCartney recebeu a distinção, no ano de 1997, por isso, é incorreto chamar Lennon e os outros membros da banda de "Sir".

YOKO ONO

John casou-se a primeira vez em 23 de agosto de 1962 com Cynthia Powell. Ela estava grávida e, em 8 de abril de 1963, eles tiveram um filho chamado Julian Lennon (cujo nome de batismo foi John Charles Julian Lennon). No começo do sucesso dos Beatles, orientados pelo empresário Brian Epstein, eles tentaram esconder o fato de John ser casado para não magoar as fãs. Mas este segredo não durou muito tempo.


No dia 9 de novembro de 1966, John conheceu a artista plástica japonesa Yoko Ono. Yoko estava expondo em uma galeria de arte chamada Indica em Londres. Embora Yoko tivesse desde então procurado John várias vezes para pedir financiamento para outra exposição, eles mantinham um distanciamento. Somente em 1968 é que John e Yoko começaram um relacionamento amoroso. Na época, Cynthia estava viajando e quando descobriu o caso do marido pediu divórcio, alegando infidelidade.


Após a separação de John e Cynthia, o caminho ficou aberto para Yoko. John levou-a a gravações do Álbum Branco dos Beatles. O clima entre os Beatles já não estava dos melhores e a presença de Yoko elevou o clima pesado, pois Paul McCartney e George Harrison não a viam com bons olhos. A imprensa e os fãs dos Beatles chamavam Yoko de feia, o que fez que John declarasse que ele e ela eram uma pessoa só.

Durante os últimos anos dos Beatles, John e Yoko tornaram-se inseparáveis. Eles apareceram juntos na gravação do Rock and Roll Circus dos Rolling Stones e protestaram juntos contra a guerra do Vietnã. No dia 20 de março de 1969, eles se casaram em Gilbratar e na lua de mel promoveram o famoso bed-in. Ainda no mesmo ano, durante as gravações do álbum/filme Let it be, Yoko esteve presente.

Um pouco depois da separação dos Beatles, o casal mudou-se para Nova Iorque e envolveram-se em protestos antiguerras. Em 1973, se separaram e John começou a viver com uma nova mulher, May Pang. Após a reconciliação de John e Yoko, no dia 9 de outubro de 1975, eles tiveram um filho chamado Sean Lennon, (nascido Sean Taro Ono Lennon). John abandonou a carreira para dedicar-se mais ao filho e permaneceu ao lado de Yoko até quando morreu.


Yoko Ono foi e ainda é tachada por muitos fãs dos Beatles como uma das principais causas da separação do grupo. Por outro lado, seus defensores alegam que Yoko é atacada por não fazer parte de uma padrão de beleza ocidental. Argumentam que Yoko estimulou John a ter uma atitude mais preocupada com problemas sociais (guerra, violência, política, etc.), estimulou seu talento artístico para a vanguarda e o levou a viver mais intensamente sua vida privada com o filho e a família. Yoko Ono lançou vários discos durante os anos 1970 e 1980, e é considerada por muitos uma precursora de movimentos artísticos de vanguarda e também na música pop, como new wave e o punk. Nos anos 2000, algumas de suas músicas foram remixadas por DJ's e fizeram sucesso nas pistas de dança no mundo todo. Yoko é uma figura polêmica entre os fãs do cantor e músico, mas viveu ao seu lado e o acompanhou até o fim, recebendo inúmeras declarações de amor de John até sua morte.

CARREIRA SOLO 

Anos 1960

John Lennon e Yoko Ono cantando Give Peace a Chance em Montreal
Junto a Yoko Ono, John começou sua carreira solo mesmo ainda fazendo parte dos Beatles, mas sem muito sucesso. Ele lançou o primeiro álbum, Two Virgins, em novembro de 1968. Two Virgins era um álbum experimental e que trouxe gravações caseiras. A capa do álbum causou polêmica, pois os dois apareceram nus. Um mês antes do lançamento do álbum, eles foram presos pela polícia por porte de drogas.


Após o casamento em Gibraltar, em março de 1969, eles realizaram o primeiro "Bed-in for Peace" no hotel Hilton em Amsterdam, nos Países Baixos. "Bed-ins" era conferências de imprensa em favor da paz, realizados em uma cama de hotel. O movimento não foi bem aceito pela imprensa e eles acabaram sendo ridicularizados por ela. Em maio do mesmo ano, lançaram o segundo álbum Life With The Lions e realizaram o segundo "bed-in", em um hotel da cidade de Montreal, Canadá, onde gravaram a canção "Give Peace a Chance" que se tornaria posteriormente em hino a favor da paz.


Ainda em 69, lançaram o compacto com a canção "Give Peace a Chance". Em outubro, foi a vez do compacto com a canção "Cold Turkey" e em novembro, o álbum chamado Wedding Album. John quis lançar a canção "Cold Turkey" em compacto com os Beatles, mas como eles não estavam dispostos a incluí-la em um compacto, ele a gravou sozinho com Yoko.

John devolveu sua MBE (Membro do Império Britânico) que ele havia recebido da rainha Elizabeth II, no mês de novembro de 1969, em protesto contra o envolvimento britânico na guerra do Biafra e contra o apoio dado aos Estados Unidos na guerra do Vietnã.


Ele foi convidado a participar junto a Yoko Ono do Rock'n Roll Revival Concert de Toronto que contou com a participação, entre outros, de Chuck Berry e Little Richard. O show foi realizado em setembro de 1969, e virou o álbum solo de John, Live Peace in Toronto. A banda que acompanhou John Lennon no show incluiu Eric Clapton na guitarra Klaus Voorman (antigo amigo da época de Hamburgo) no baixo, e Allan White na bateria (integrante da banda de rock Yes).

Anos 1970

Após a separação dos Beatles, Lennon lançou seu álbum John Lennon Plastic Ono Band em dezembro de 1970. Era o primeiro álbum solo oficial depois dos três álbuns experimentais e do álbum ao vivo lançados enquanto ainda estava nos Beatles. Na época, John e Yoko participavam da terapia primal do Dr. Arthur Janov em Los Angeles. Através da terapia, Lennon tentou lidar com seus traumas da infância (abandono, isolamento e morte). De volta a Inglaterra, John chamou o produtor Phil Spector e começou as gravações do álbum. Participaram do álbum o ex-beatle Ringo Starr, além de Billy Preston e Alan White, futuro membro do Yes. John Lennon fala do abandono da mãe e do pai na canção "Mother". Na canção "God" John diz a famosa frase "O sonho acabou" em referência aos Beatles, e afirma ainda não acreditar nos Beatles nem em Jesus.

Em 1971, John atinge o sucesso com o álbum Imagine. A faixa-título faz muito sucesso e torna-se um hino da paz no mundo inteiro. Neste álbum, John ataca o ex-parceiro musical, Paul McCartney com a canção "How do you sleep?". Na canção, John acusa Paul de fazer "canção muzak" (canções que são tocadas em elevador) e diz que a única coisa que Paul escreveu bem foi a canção "Yesterday", e que desde que abandonou os Beatles que as suas canções são desinteressantes ("The only thing you done was yesterday and since you're gone you're just another day"). John alegou que Paul sempre o atacava sutilmente em seus discos (Paul admitiu que tinha feito referências a John no disco Ram) e que "How do you sleep?" era uma resposta a essas provocações. Paul, muitos anos depois, responderia aos muitos críticos que o acusavam de fazer "Silly Songs" com a canção "Silly Love Songs". "Jealous Guy" foi originalmente composta por John em 1968, tinha uma letra diferente e se chamava "Child of Nature". Os Beatles até chegaram a ensaiá-la para o álbum duplo The Beatles, mas ela acabou ficando de fora. "Gimme Some Truth" foi gravada com os Beatles durante as sessões de Let it Be, mas também ficou de fora do álbum. George Harrison tocou guitarra na canção "How do you sleep?". Yoko participa do álbum como co-produtora, além de ser co-autora da canção "Oh My Love", uma das mais belas do disco. John viria a dizer, pouco antes de sua morte, que parte da letra de "Imagine" era de Yoko, apesar de ele não haver creditado a parceria à esposa. O álbum atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso americana e inglesa.



Em 1971 John e Yoko mudaram-se para Nova Iorque, nos Estados Unidos e no ano seguinte realizaram o álbum Some Time in New York City, com canções dele e de Yoko. Na época, John recebia em sua casa vários ativistas e criticava a postura política do presidente americano Richard Nixon. Anos mais tarde, o FBI confessou que investigava a vida de John por causa de seu envolvimento político. O álbum também trazia canções de postura anti-racial, contra a brutalidade policial e anti-sexista como na canção "Woman is The Nigger of The World" entre outros temas. A canção chamada "Sunday Bloody Sunday" era em referência ao domingo sangrento acontecido na Irlanda. No álbum foram incluídas algumas gravações ao vivo, uma que trazia John em um show em Londres em 1969 organizado pela Unicef e outro gravado em Fillmore East em 1971 com Frank Zappa e The Mothers of Invention.

Em 1973 John lançou o álbum Mind Games que marca o iníco de sua separação de Yoko Ono, por iniciativa dela. John mudou para Los Angeles e teve um caso com uma assistente, May Pang. Nesta época ele afundou no uso do álcool e por várias vezes se envolveu em brigas e confusões. Um de seus mais frequentes companheiros de farra era o cantor Harry Nilsson, de quem ele produziu o disco Pussy Cats. Mantinha sempre contato com Yoko e queria voltar para Nova Iorque, mas a esposa dizia ainda não ser o momento.

Em 1974, John ainda com May Pang, passou a maior parte do tempo em bebedeiras com amigos como Ringo Starr, Harry Nilsson e Keith Moon. Lançou neste ano o álbum Walls And Bridges. Alcançou sucesso com as canções "#9Dream" e "Whatever Gets You Thru The Night", esta, com a participação de Elton John no piano e vocalização. Um mês após o lançamento do álbum, ele participou do show de Elton John no Madison Square Garden na cidade de Nova Iorque. E pouco tempo depois, voltou a viver com Yoko Ono, largando May Pang. Vários anos após a morte de John Lennon, Yoko apagaria a voz de May que aparecia no coro de "#9 Dream".

No ano seguinte, John lançou o álbum Rock and Roll, que apresentava suas versões covers para rock antigos que ouvia na sua adolescência. Conseguiu fazer sucesso com a canção "Stand by Me" composição de Jerry Leiber, Mike Stoller e Ben E. King.

Na época da gravação do álbum Rock'n Roll, Yoko engravidou de John Lennon e após o nascimento do seu filho, Sean, John abandonou a carreira para se dedicar ao filho e a família. Ainda em 1975, John ganhou o Green card americano, o que lhe deu direito de permanecer morando nos Estados Unidos, mesmo sendo estrangeiro.



Após cinco anos de reclusão, em 1980, John Lennon voltou a gravar um novo álbum, Double Fantasy. Durante este período de reclusão, John gravou alguma coisa em sua casa e compôs algumas canções. O álbum foi dividido entre canções de Lennon e Yoko. Em "(Just Like)Starting Over", John faz referências à sua volta. "Starting Over" e "Woman" atingiram o primeiro lugar nas paradas de sucesso. Ainda fizeram sucesso "Watching the Wheels" e "Beautiful Boy", sucesso que foi impulsionado pela morte de John Lennon.


MORTE


Na noite de 8 de dezembro de 1980, quando voltava para o apartamento onde morava em Nova Iorque, no edifício Dakota, em frente ao Central Park, John foi abordado por um rapaz que durante o dia havia lhe pedido um autógrafo em um LP Double Fantasy em frente ao Dakota. O rapaz era Mark David Chapman, um fã dos Beatles e de John, que acabou disparando 5 tiros com revólver calibre 38, os quais acertaram em John Lennon. A polícia chegou minutos depois e levou John na própria viatura para o hospital. O assassino permaneceu no local com um livro nas mãos, O Apanhador no Campo de Centeio de J.D. Salinger. 


John morreu após perder cerca de 80% de seu sangue, aos quarenta anos de idade. Logo após a notícia da morte de John Lennon, que correu o mundo, uma multidão se juntou em frente ao Dakota, com velas e cantando canções de John e dos Beatles. O corpo de John foi cremado no Ferncliff Cemetery, em Hartsdale, cidade do estado de Nova Iorque, e suas cinzas foram guardadas por Yoko Ono.


O assassino foi preso, pois permaneceu no local, esperando os policiais chegarem. Ao entrar na viatura, pediu desculpas aos policiais pelo "transtorno que havia causado". Em seu julgamento alegou ter lido em "O apanhador no Campo de Centeio" uma mensagem que dizia para matar John Lennon. Acabou sendo condenado à prisão perpétua e até hoje é mantido numa cela separada de outros presos, devido às ameaças de morte que recebeu. Segundo Chapman, o motivo do crime foram declarações de Lennon consideradas por Chapman como blasfêmia , como se declarar mais popular que Cristo e dizer em suas letras de músicas coisas como não acreditar em Jesus e dizer que todos imaginassem que os céus, em sentido espiritual, não existissem.

Após a morte de John, foi criado um memorial chamado Strawberry Fields Forever no Central Park, em frente ao Dakota. Alguns discos póstumos foram lançados, como Milk and Honey, com sobras de canções do disco Double Fantasy. Várias coletâneas e um disco chamado Accoustic foram lançados em 2005. Yoko Ono administra tudo o que se refere a John Lennon, suas canções em carreira solo, seus vídeos e filmes.


Uma das últimas fotos de John Lennon vivo, feita pelo fotógrafo amador Paul Goresh, exibe Lennon autografando o álbum Double Fantasy para seu futuro assassino. A última fotografia de John Lennon vivo, também tirada por Paul Goresh, mostra o músico de perfil enquanto entra em sua limosine. A narrativa oficial corroborada por estudiosos dos Beatles é contestada por outros admiradores da banda que apontam algumas inconsistências como o fato de o suposto assassino não ter tentado escapar logo após a tragédia bem como o fato de o corpo ter sido cremado a mando da viúva Yoko Ono.

DISCOGRAFIA


Unfinished Music No.1: Two Virgins (1968)
Unfinished Music No.2: Life with the Lions (1969)
Wedding Album (1969)
Live Peace In Toronto (1969)
John Lennon/Plastic Ono Band (1970)
Imagine (1971)
Sometime In New York City (com Yoko Ono) (1972)
Mind Games (1973)
Walls And Bridges (1974)
Rock 'n' Roll (1975)
Shaved Fish (coletânea) (1975)
Double Fantasy (com Yoko Ono) (1980)
The John Lennon Collection (coletânea) (1982)
Milk And Honey (com Yoko Ono) (1984)
Live In New York City (show gravado em 1972)(1986)
Menlove Ave. (1986)
Imagine: John Lennon (1988)
Lennon (Box com quatro cds) (1990)
Lennon Legend (coletânea) (1997)
John Lennon Anthology (1998)
Wonsaponatime (1998)
Accoustic (2004)
Peace, Love & Truth (2005)
Working Class Hero: The definitive John Lennon (coletânea) (2005)
The US Versus John Lennon (coletânea) (2006)

Filmes & Documentários

The U.S.A vs John Lennon, é um documentário que investe no lado de ativista pela paz de John.
How I Won the War, de 1967, lançado no Brasil como Que Delícia de Guerra. Dirigido por Richard Lester (de A Hard Day's Night e Help!)
Imagine, de 1971, considerado um dos precursores dos atuais videos clipes, contém as canções do álbum Imagine e duas canções do álbum Fly de Yoko Ono: "Don't Count the Waves" e "Mrs. Lennon". Foi dirigido pelo casal Lennon.
Imagine: John Lennon, documentário de 1988 narrado pelo próprio Lennon, com excertos de mais de 100 horas de entrevistas e imagens do arquivo de Yoko. Dirigido por Andrew Solt.
The Beatles Anthology, de 1996, documentário sobre os Beatles narrado pelos próprios.
John Lennon Legend, em DVD, apresenta clipes de sua carreira solo
Gimme Some Truth, em DVD, documentário sobre a gravação do álbum Imagine
Chapter 27, um filme onde Lindsay Lohan vive uma fã dos Beatles em especial John Lennon. Na trama, Lindsay conhece o assassino de John Lennon e acaba por ficar amiga de Mark David Chapman, vivido por Jared Leto. O filme já se encontra nos cinemas. Relata os pensamentos de Mark em toda a sua infância até o momento da sua vida, quando atira em John Lennon, em frente à sua casa.
Across The Universe (2007) Across the Universe é um musical revolucionário de rock, com amores, diferenças ideológicas, sociais e belíssimas canções que recria, com delicadeza e psicodélica criatividade, a América do turbulento período do fim da década de 60. A trilha sonora do filme é inteira dos Beatles.
The Killing of John Lennon, filme sobre o assassinato de Lennon por Mark David Chapman. O filme foi escrito e dirigido por Andrew Piddington

Nowhere Boy (O Garoto de Liverpool), - Sobre a juventude de Lennon, direção de Sam Taylor Wood (2009). O filme encerrou o Festival de Cinema de Londres de 2009.

Livros

"John" Biografia escrita por Cynthia Lennon
"In His Own Write"
"A Spaniard In The Works"
"Imagine this: growing up with my brother John Lennon"(escrito pela meia-irmã de Lennon, contando como foi viver com Lennon, seu irmão...)
"John Lennon: A Vida" Biografia escrita por Philip Norman

PRA COMPLETAR AS 18HS DA TARDE COM REPRISE NO DOMINGO , O AUTOGRAFO MUSICAL , OS SUCESSOS MARCANTES DE JOHN LENNON COM DUAS HORAS DE ESPECIAL. NÃO PERCAM.

























Fonte Pesquisa 

Wikipédia : http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Lennon
Site Oficial ; http://www.johnlennon.com/

A EXPRESSO MUSIC AGRADECE AO WIKIPÉDIA PELA, BIOGRAFIA DESTE ASTRO E MITO DA MUSICA INTERNACIONAL DE TODOS OS TEMPOS, AGRADECE AO COLABORADORES PELAS FOTOS E AGRADECEMOS A DEUS ACIMA DE TUDO.

CONTAMOS COM A PRESENÇA DE VOCÊ OUVINTE , A EXPRESSO MUSIC SEMPRE TOCANDO O MELHOR PRA VOCÊ.

SEMANA QUE VEM MAIS UM ASTRO, MAIS UMA ESTRELA 
CONTINUE COM A GENTE NA EXPRESSO MUSIC
PADRÃO DE CLASSE E QUALIDADE.


Continue lendo

7 de dezembro de 2014

AUTOGRAFO MUSICAL - ZÉ RAMALHO

AUTOGRAFO MUSICAL 

ESTE FIM DE SEMANA A EXPRESSO MUSIC TRAZ NO AUTOGRAFO MUSICAL A PRESENÇA DO GRANDE ZÉ RAMALHO , UM DOS GRANDES CANTORES DA MUSICA POPULAR BRASILEIRA.

José Ramalho Neto (Brejo do Cruz3 de outubro de 1949), mais conhecido como Zé Ramalho, é um cantor e compositorbrasileiro. É primo da cantora Elba Ramalho.
Suas influências musicais são uma mistura de elementos da cultura nordestina (cantadores, repentistas e rabequeiros), daJovem Guarda (Roberto CarlosErasmo CarlosGolden Boys e Renato e seus Blue Caps), a sonoridade dos Beatles e a rebeldia de The Rolling StonesPink FloydRaul Seixas e, principalmente, Bob Dylan. Há elementos da mitologia grega e dehistórias em quadrinhos em suas músicas.
Tem seis filhos: Christian (1974), Antônio Wilson (1978), João (1979), Maria M. (1981), José (1992) e Linda (1995); além de cinco netos, Ester (1999) e Miguel (2004), filhos de Maria com Zé Carlos; Ana Lua (2002), filha de João com Mariana; Maria Luísa, (2009) e Felipe (2011), filhos de Christian e Tatiana. É casado com Roberta Ramalho, mãe de José e Linda, há 27 anos.
Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Zé Ramalho na 41ª posição.

José Ramalho nasceu em 3 de outubro de 1949 em Brejo do Cruz/PB, filho de Estelita Torres Ramalho, uma professora do ensino fundamental, e Antônio de Pádua Pordeus Ramalho, um seresteiro. Quando tinha dois anos de idade, seu pai se afogou numa represa do sertão, e passou a ser criado por seu avô. A relação entre os dois seria mais tarde homenageada na canção "Avôhai". Após passar a maior parte da sua infância em Campina Grande, sua família se mudou para João Pessoa. Esperava-se que ele se formasse em Medicina.
1952 / 1960 Tempo em que a família Ramalho (Avôhai, avó Soledade, Maria, Terezinha, Inês, Zélia, mais o tio Nonato) caminhou rumo à capital e ao curso superior que o patriarca desejou para os filhos e o neto. A ele estava reservado o posto de médico da família. Grande parte da infância foi passada em Campina Grande.

1961 / 1970 Estabelecidos em João Pessoa, ele começa a participar dos "conjuntos de baile" da Jovem Guarda. Esta experiência lhe deu noções do profissionalismo que demonstra até hoje. As influências musicais surgiram aí. Através das versões de Renato Barros, Leno e Lílian, Roberto Carlos & Erasmo Carlos e Golden Boys. Ele toma conhecimento dos lançamentos dos Beatles e a partir daí desperta para The Rolling Stones, Pink Floyd e Bob Dylan.
1971 - Nasce o filho Christian.
– Participa da trilha sonora do filme "Nordeste: Cordel, Repente e Canção" da cineasta Tânia Quaresma. Descobre seus próprios rastros da passagem do cangaço e se sente influenciado pela linguagem dos cantadores, emboladores, violeiros, rabequeiros do sertão. A partir daí inventa sua maneira de compor, que até então continha os elementos de rock e dos forrós de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, que tanto ouviu na infância de sertanejo. Naturalmente ocorre a fusão-transformação e ele, sem se aperceber, acha a fórmula que lhe dará a escrita característica ramalheana.
Como influências literárias, carrega Drummond e Vinicius desde a juventude.
- Grava o Lp "Paêbiru" ao lado de Lula Côrtes pela gravadora Rozenblit- selo Mocambo. Toca vários instrumentos. O disco é divido nos elementos água, terra, fogo e ar. É um cult e raridade até hoje. Há muito de Pink Floyd, sertão e viagens.

1977 - Participa do Festival Abertura tocando com Alceu Valença a música "Vou Danado pra Catende". Ganham prêmio especial.
Show Anima / Teatro João Caetano, organizado pelos poetas Abel Silva e Capinam com Fagner, Moraes Moreira e Jackson do Pandeiro.

– Grava o disco de estréia "Zé Ramalho" com a música "Avôhai".

1978 Nasceu Seu Filho Antônio Wilson, 
Ano seguinte em 1979 Nasce João, filho com a cantora Amelinha, para quem compôs vários sucessos.
– Lança o LP "A Peleja do Diabo com o Dono do Céu" com a música "Admirável Gado Novo". O sucesso vem com "Frevo Mulher", "Galope Rasante", "Admirável Gado Novo", "Chão de Giz", "Avôhai", "Banquete de Signos", "Eternas Ondas", "Táxi Lunar", "Bicho de 7 cabeças", "A Terceira Lâmina"... 

Os amigos Geraldo Azevedo, Elba Ramalho, Amelinha e Fagner compartilharam da época musicalmente frutífera.

1981 - Publica o livro de poesias "Carne de Pescoço". Edita os livretos "Apocalipse" e "A Peleja de Zé do Caixão com o cantor Zé Ramalho". Lança o disco "A Terceira Lâmina".
– Nasce a filha Maria Maria, quem em 1999, lhe deu a primeira neta, Ester.

1982 - Lança o disco "Força Verde".Zé Ramalho foi acusado na edição da revista Veja de 21 de julho de 1982 de plagiar na letra da canção "Força Verde" , um texto de William Butler Yeats utilizado como introdução pelo roteirista Roy Thomas numa revista em quadrinhos do Hulk publicada no Brasil 10 anos antes pela GEA .
Após esse fato, outras acusações de plágio vieram a tona, uma delas foi referente a uma música de muito sucesso cantada por Amelinha (Mulher nova, bonita e carinhosa…), porém, todas as acusações se mostraram inidôneas.
Em 1983, após o lançamento do quinto álbum, Orquídea Negra, terminou sua relação com Amelinha e se mudou para o Rio de Janeiro. Depois de gravar "Por aquelas que foram bem amadas ou para não dizer que não falei de rock", no início do ano de 1984, casou com Roberta Ramalho, com quem é casado até hoje.
Os anos 80 seriam palco de uma queda no sucesso de Zé Ramalho, com o lançamento dos álbuns Pra Não Dizer Que Não Falei de Rock ou Por Aquelas Que Foram Bem Amadas (1984), De Gosto de Água e de Amigos (1985), Opus Visionário (1986) e Décimas de um Cantador (1987). Uma possível causa dessa fase ruim seria o uso de experimentalismo na música. Em 1990, ele tocou nos Estados Unidos para um público brasileiro.
1985 - Grava discos que não vendem tanto como os primeiros, mas sua beleza musical será descoberta anos após. Era a experimentação. Zé Ramalho não teve medo de ousar por novos caminhos, de mostrar sua veia roqueira, as influências estrangeiras e chocar público e crítica. Alguns raros compreenderam.
Os discos são:
"Pra não dizer que não falei de rock ou por aquelas que foram bem amadas" (1984)
"De Gôsto, de água e de amigos" (1985)
"Opus visionário" (1986)
"Décimas de um cantador" (1987)

1989 - Deixa definitivamente o hábito da cocaína, dando uma reviravolta em sua vida pessoal e retornando aos discos em 1991
Em 1991, sua única irmã, Goretti, morreu. Ainda assim, gravou seu décimo primeiro álbum, Brasil Nordeste (que continha regravações de músicas típicas nordestinas) e voltou ao seus tempos de sucesso. A canção "Entre a Serpente e a Estrela" foi utilizada na trilha sonora da novela Pedra Sobre Pedra. Em 1992, teve seu quinto filho, José, (o primeiro com Roberta), fato que foi seguido pelo lançamento do álbum Frevoador. Em 1995, nasceu a segunda filha: Linda.
Em 1996, gravou o álbum ao vivo O Grande Encontro com Elba Ramalho e os famosos nomes da MPB Alceu Valença e Geraldo Azevedo. No mesmo ano, lançou o álbum Cidades e Lendas.
O sucesso de O Grande Encontro foi grande o suficiente pra que Zé Ramalho decidisse gravar uma nova versão de estúdio em 1997, desta vez sem Alceu Valença. O álbum vendeu mais de 300.000 cópias, recebendo os certificados ouro e platina.
Para celebrar seus vinte anos de carreira, lançou o CD Antologia Acústica. A gravadora Sony Music também lançou uma box set com três discos: um de raridades, um de duetos e um de sucessos. A escritora brasileira Luciane Alves lançou o livro Zé Ramalho – um Visionário do século XX.
Antes do fim do milênio, um outro sucesso Admirável Gado Novo (primeiramente lançado no álbum A Peleja do Diabo com o Dono do Céu) foi usado como tema do líder sem terra Regino, personagem emblemático de Jackson Antunes na novela O Rei do Gado. Ele também lançou o álbum Eu Sou Todos Nós, seguido do Nação Nordestina, sendo que nesse último a música nordestina foi novamente explorada. O álbum foi indicado para o Latin GRAMMY Award de Melhor Álbum de Música Regional ou de Origem Brasileira.
O primeiro trabalho do século XXI foi o álbum tributo Zé Ramalho Canta Raul Seixas, com regravações de canções do músico baiano. Dividiu o palco com Elba Ramalho no Rock in Rio III. Em 2002, a Som Livre lança um CD de grandes sucessos chamado Perfil, parte da série Perfil. Também em 2002, veio o décimo sétimo álbum, O Gosto da Criação.
Em 2003, Estação Brasil, um álbum com várias regravações de canções brasileiras e uma inédita foi lançado. Fez uma participação especial na faixa "Sinônimos" do álbum Grandes clássicos sertanejos, de Chitãozinho & Xororó.

Em 2005, gravou seu único álbum solo ao vivo, Zé Ramalho ao vivo. Seu mais recente álbum de inéditas Parceria dos Viajantes, foi lançado em 2007 e indicado para o Latin GRAMMY de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira.
Em 2008, um álbum de raridades chamado Zé Ramalho da Paraíba foi lançado pela Discoberta, seguido de um novo álbum de covers Zé Ramalho Canta Bob Dylan - Tá Tudo Mudando, homenageando o músico americano.
Em 2009, um novo álbum de covers Zé Ramalho Canta Luiz Gonzaga foi lançado para homenagear o músico pernambucano

Em 2010, continuou homenageando suas influências com o álbum Zé Ramalho Canta Jackson do Pandeiro.

Seu trabalho mais recente de covers é o álbum Zé Ramalho Canta Beatles, lançado em agosto de 2011, com regravações do Fab Four. É o seu quarto álbum de covers em três anos.

Em 2012, lançou o seu primeiro disco de inéditas em cinco anos, Sinais dos Tempos, por meio de sua nova gravadora própria, Avôhai Music.

No dia 22/09/2013, tocou ao lado da banda de metal Sepultura no palco Sunset do Rock in Rio 2013, no espetáculo que foi chamado de "Zépultura". O show foi bastante elogiado pela crítica, e agradou ao público presente.

Em Novembro de 2014, Zé lançou um álbum ao vivo colaborativo com o cantor e violonista Fagner, intitulado Fagner & Zé Ramalho ao Vivo.


DISCOGRAFIA

Anterior à oficial

Paêbirú (1975, com Lula Côrtes)

Álbuns de estúdio

1978 - Zé Ramalho - (Epic/CBS)
1980 - A Peleja do Diabo com o Dono do Céu - (Epic/CBS)
1981 - A Terceira Lâmina - (Epic/CBS)
1982 - Força Verde - (Epic/CBS)
1983 - Orquídea Negra - (Epic/CBS)
1984 - Por Aquelas Que Foram Bem Amadas ou Pra não dizer que não falei de Rock - (Epic/CBS)
1985 - De Gosto de Água e de Amigos - (Epic/CBS)
1986 - Opus Visionário - (Epic/CBS)
1987 - Décimas de um Cantador - (Epic/CBS)
1992 - Frevoador - (Columbia/Sony Music)
1996 - Cidades e Lendas - (BMG)
1997 - Antologia Acústica - (BMG)
1998 - Eu Sou Todos Nós - (BMG)
2002 - O Gosto da Criação - (BMG)
2003 - Estação Brasil - (BMG)
2007 - Parceria dos Viajantes - (Sony/BMG)
2008 - Zé Ramalho da Paraíba - (Discobertas/Coqueiro Verde)
2012 - Sinais dos Tempos - (Avôhai Music)

Coletâneas

2002 - Perfil
2007 - Zé Ramalho em foco

Cover

1991 - Brasil Nordeste - (Columbia/Sony Music)
2000 - Nação Nordestina - (BMG)
2001 - Zé Ramalho Canta Raul Seixas - (BMG)
2008 - Zé Ramalho Canta Bob Dylan - Tá Tudo Mudando - (EMI)
2009 - Zé Ramalho Canta Luiz Gonzaga - (Discobertas/Sony)
2010 - Zé Ramalho Canta Jackson do Pandeiro - (Discobertas/Sony)
2011 - Zé Ramalho Canta Beatles - (Discobertas/Sony)

Ao vivo
2005 - Zé Ramalho ao vivo - (Sony/BMG)

Caixa

1996 - 20 Anos de Carreira (Sony Music)
2009 - Participação de Zé Ramalho no DVD de Capim Cubano Ao Vivo em João Pessoa - PB
2010 - Box - A Caixa de Pandora - (Sony Music)

Participações

Lordose pra leão - os pássaros não calçam rua
Jorge Cabeleira - Jorge Cabeleira e o dia em que seremos todos inúteis
Roberta de Recife - Nordestina
Ricardo Vilas e amigos - Bem Brasil
Waldonys - aprendi com o Rei vol.2
Renato e seus Blue Caps - Renato e seus Blue Caps (1981)
João do Vale - João do Vale (1981)
Vários Artistas - Pirlimpimpim com a música Os Doze Trabalhos de Hércules (1982)
Segredo de Estado - Segredo de Estado (1992)
Glorinha Gadelha - tudo que ilumina (1993)
Dorival Caymmi - Songbook Dorival Caymmi vol. 4 (1993)
João Batista do Vale - João Batista do Vale (1994)
Vários Artistas - Viva Gonzagão! É forró, é xote, é baião (1994)
Jorge Mautner - Bomba de estrelas (1995)
Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Elba Ramalho - O grande encontro (1996)
Xuxa - Arraiá da Xuxa (1997)
Dominguinhos & Vários Artistas - Dominguinhos e convidados cantam Luiz Gonzaga (1997)
Falcão - A Um Passo da MPB (1997)
Boca Livre - Boca Livre, 20 anos - convida (1997)
André Luiz Oliveira - Mensagem de Fernando Pessoa (1997)
Zé Ramalho, Geraldo Azevedo e Elba Ramalho - O grande encontro 2 (1997)
Vários Artistas - Casa do forró - ao vivo (1998)
Geraldo Azevedo - Raízes e Frutos (1998)
Fagner - Amigos e Canções (1998)
Alcymar Monteiro - Festa Brasileira (1999)
Elba Ramalho - Solar (1999)
Zeca Baleiro - Vô imbolá (1999)
Marinês - Marinês & sua gente - 50 anos de forró (1999)
Vários Artistas - Jackson do Pandeiro - revisto e sampleado (1999)
Vários Artistas - O submarino verde e amarelo (2000)
Vários Artistas - Reiginaldo Rossi - um tributo (2000)
Vários Artistas - O melhor do forró no maior São João do mundo (2000)
Zé Ramalho, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo - O Grande Encontro 3 - ao vivo (2000)
Vários Artistas - Forró Força Livre - vol 3 (2001)
Vários Artistas - John Lennon - uma homenagem (2001)
Gonzaguinha & Vários Artistas - Duetos com Mestre Lua (2001)
Rastapé - Até o Dia Clarear (2002)
Vários Artistas - Forró da feira 2 (2002)
Vários Artistas - Lisbela e o Prisioneiro (Trilha Sonora) (2003)
Jota Quest - Oxigênio (2003)
Paulo Cesar Barros & Vários Artistas - Estrada (2004)
Vários Artistas - Um barzinho, um violão - ao vivo (2004)
Chitãozinho & Xororó - Aqui o Sistema é Bruto (2004)
Léo e Bia - Léo e Bia 1973 - edição especial (2005)
Beto Brito - Imbolê (2007)
Os Paralamas do Sucesso - Brasil Afora (2009)
Vários Artistas - O Bem Amado (Trilha Sonora) (2010)
Paula Fernandes - "Encontros pelo Caminho" (2014)

DVD

2001 - Zé Ramalho Canta Raul Seixas: Ao Vivo
2005 - Zé Ramalho ao Vivo
2007 - Parceria dos Viajantes
2008 - Zé Ramalho Canta Bob Dylan - Tá Tudo Mudando
2009 - Zé Ramalho - O Herdeiro de Avohai - documentário

Fonte Pesquisa : Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Z%C3%A9_Ramalho)
                            Site Oficial : http://www.zeramalho.com.br/

A EXPRESSO MUSIC AGRADECE A ESTE GRANDE CANTOR DA MUSICA BRASILEIRA (ZÉ RAMALHO) POR TER UMA OBRA EXCELENTE E COM SUAS MUSICAS EXTRAORDINÁRIAS, AGRADECEMOS AO WIKIPÉDIA PELA COLABORAÇÃO ENTRE OUTROS QUE FAZEM PARTE DA CARREIRA DESTE ÍCONE DA MPB.

A EXPRESSO MUSIC AGRADECE A TODOS OS OUVINTES PELA AUDIÊNCIA E COMPANHIA DE SEMPRE , SEMANA QUE VEM MAIS UM ASTRO MAIS UMA ESTRELA.

CONTINUE COM A GENTE, RADIO EXPRESSO MUSIC 
TOCANDO TUDO DE BOM PRA VOCE 


Continue lendo

@Expresso_Music